Páginas

quinta-feira, 10 de maio de 2012

Chegou a minha vez!!! Vou ter um bebê!

Trabalho com gestantes há pelo menos 6 anos, mas como doula (acompanhando partos há quase 4 anos) e sempre tive o sonho de ser mãe. Cada parto que eu acompanhava fazia com que essa vontade crescesse ainda mais.
Desconfiei que algo estava diferente, quando quase desmaiei, antes mesmo de atrasar a menstruação fiz um betaHCG e então, numa sexta -feira 13 recebi o resultado positivo.
Nossa... mesmo me achando super preparada, bateu um friozinho na barriga. Foi um misto de alegria e medo! Eu chorava sem saber se era de alegria, de alívio, de pavor...
Fiz uma surpresa para meu marido, comprei um pijaminha e um body juntamente com o resultado do exame entreguei para ele. Foi emocionante!
Meus primeiros três meses foram difíceis. Não eram os enjôos,mas o vômito que acabava comigo.
Confesso que fiquei deprimida. Não era nada fácil todo dia passar mal, quando me perguntavam como estava me sentindo com a minha "tão sonhada gravidez" eu dizia: estou me sentindo doente. Como se eu estivesse com uma virose que não passava.
Por estar me sentindo assim me isolei, não queria sair de casa para nada.
Ao mesmo tempo vinha a culpa, como pode você desejar tanto uma coisa e quando ela acontece você fica desse jeito?
Atendi muitas mulheres que passaram mal, eu tentava ajudá-las dando dicas (que comigo não funcionaram rsrsr) e dizia à elas que tudo isso passava e passa mesmo! Hoje nem me lembro mais!
Por conta desse turbilhão de emoções me ausentei um pouco do blog, mas agora estou de volta!
É de extrema importância você ter alguém do seu lado nessa hora, mesmo que seja só para te ajudar com as tarefas de casa, para fazer uma sopinha, para te ajudar a levantar do vaso sanitário. Como meu marido foi incrível!
Hoje, vejo que foi importante passar por tudo isso, pois consigo entender melhor as gestantes e os maridos, que sofrem com as nossas transformações.
Uma coisa que me surpreendeu foi a falta de ética e compreensão de alguns profissionais da área que para se promoverem quando descobriram da minha gravidez falavam para as gestantes que por eu estar grávida eu não conseguiria atendê-las. Triste né?
Antigamente, juro que isso me afetava,mas como a maternidade te faz ver as coisas com outros olhos e se preocupar com coisas e pessoas que realmente te importam.
Atualmente só faço as coisas que me dão prazer e mantenho contato com quem me faz bem!
Continuo aqui para ajudá-las!!

Gostaria de agradecer de coração à todas minhas queridas amigas por se preocuparem comigo, por todo carinho e pela força!

Carinhosamente,
Paula e Agatha





Um comentário:

Carol disse...

Mais uma vez parabéns Paulinha!!!
Beijos da Carol, mãe da Alice