Páginas

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Egoísmo x Abraço

Este texto é de uma colega, e ela descreve muito bem nossa realidade! Parabéns Renata pelo trabalho!

Hoje estava conversando com uma moça que está grávida e ainda não decidiu nada sobre o tipo de nascimento que quer dar ao seu bebê.... mas disse que pensa na cesárea por causa do medo da dor do parto normal...

Quando ela me disse isso fiquei pensando mil coisas... em mil motivos para uma escolha como essa (juro que sempre tento entender!) e acabei chegando à conclusão que escolher uma cesárea sem indicação alguma, só por medo da dor do parto normal é uma atitude totalmente egoísta. Sei que muitas pessoas vão me criticar, mesmo assim vou tentar explicar através de perguntas porque acho a cesárea desnecessária um ato totalmente egoísta...

Bom....

Espera-se que toda mãe ame incondicionalmente os filhos, faça qualquer coisa por eles. Algumas até dizem que dão a própria vida pela a dos filhos, certo??

Então como entender que na hora de colocá-los ao mundo, preferem levar em consideração somente o bem-estar DELAS?? "Estou cansada, não aguento mais essa barriga.. não vejo a hora de completar 37 semanas pra fazer a cesárea."... "Vai ser cesárea porque não quero sentir dor..." muitas dizem.

Como entender que preferem arriscar a vida dos pequenos por medo DELAS sentirem dor? E a dor (física, emocional ou mesmo ambas) que eles sentem ao ser "arrancados" sem aviso algum do seu ninho de proteção, conforto e segurança? Como você se sentiria, se fosse arrancada à força de seu quarto escuro, de sua cama quentinha, segura e confortável e fosse levada para um local totalmente estranho, frio, iluminado e cheio de gente desconhecida??

Porque as mães podem se informar, podem se preparar fisica e emocionalmente para a cirurgia, né? Mas, sem o aviso que o trabalho de parto dá, como avisar ao bebê que ele será "nascido" dessa forma? "Nascido"... porque ele não nasceu, não estreiou, ele foi "nascido" por alguém.

Como entender a realização de uma cirurgia de grande porte, cheia de riscos e pós-operatório para se enfrentar (e sabemos que isso tem influência direta na descida do leite e na formação do vínculo inicial do binômio mãe-bebê) e a aceitação de intervenções desagradáveis no bebê como a aspiração de vias aéreas superiores, porque ELAS não querem sentir nada?

Como entender que preferem pôr seus filhos em risco do que se arriscarem por eles?

Olhem só as diferenças entre esses seres.... 20..30 anos de experiências separam essas pessoas. Uma grande, outra pequena. Uma forte, outra frágil. Uma consegue se impor, falar o que é melhor para si.. a outra não. Uma consegue se proteger, a outra não!

Não é muito egoísmo uma mulher saudável, forte, cheia de experiências anteriores se colocar à frente de um ser pequeno, frágil e que não pode dar sua opinião em nada?

A dor do parto não é má. Não causa sofrimento. Ela é uma benção!! Ocorre para dizer à mãe que seu corpo está funcionando corretamente e que em breve seu bebê estará em seus braços. É um feedback que chega somente no final, para dizer à mãe de que ela foi esplêndida nos últimos 9 meses... É o abraço mais apertado que o corpo feminino pode dar em suas crias. Abraço de despedida, forte, intenso. Então, porque ignorá-la? Porque anulá-la? Porque transformá-la em algo ruim, negativo? Porque associá-la ao sofrimento se tudo o que ela faz é ser um aviso de que um milagre está prestes a acontecer? Porque não deixar que esses abraços ocorram?

Se você for mãe ou está se tornando uma, pense bem em suas escolhas... e reflita se você é mesmo capaz de fazer qualquer coisa por seu filho. Se coloque no lugar dele.

Pense bem sobre o tipo de boas-vindas que você quer dar ao seu bebê... que tipo de primeira-impressão você quer que ele tenha.... que tipo de experiência sensorial, emocional e física você quer compartilhar com ele... As atitudes maternas devem começar cedo... e não somente depois do nascimento dos filhotes!

Pense nisso e abrace......

Beijos, Rê

Postado por Renata Olah

Um comentário:

Giovana disse...

Oi Paula,
Conheci seu blog através da Dra. Claudia Ribas, minha médica.
Além de ter o meu blog pessoal, o gielucca.blogspot.com, eu posto duas vezes por semana no blog da Mamãe Modernex, da Dermodex. No meu post de ontem falei sobre seu blog e seu trabalho como doula. Dá um pulinho lá: dermodex.com.br/blog.
Beijinhos e parabens! Giovana Reobol