Páginas

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Como emagrecer depois da gravidez?

A CADA LITRO DE LEITE PRODUZIDO PELA MÃE, CERCA DE 900 CALORIAS SÃO GASTAS. APROVEITE A AMAMENTAÇÃO E VOLTE À SUA ANTIGA FORMA





Com tanta dedicação ao seu bebê recém-nascido, fica difícil tentar acabar com os quilinhos extras que você ganhou durante a gravidez. Faz parte, toda mulher passa por isso e, com dedicação, logo você estará cabendo naquela sua calça jeans skinny. Veja nossas dicas.


Amamente.



A amamentação ajuda na redução do peso pós-parto. Segundo a professora de nutrição Thelma Fernandes Feltrin Rodrigues, da Uninove, a mulher tem um gasto energético elevado para produzir o leite: são cerca de 900 calorias a cada litro. “Além disso, os processos de produção e de liberação do leite estimulam as contrações uterinas, auxiliando o retorno ao tamanho original do órgão”, explica a professora.



Não descuide da alimentação.



Afinal, tudo o que você come é utilizado pelo seu corpo para produzir o alimento do bebê. “A mulher que está amamentando não deve fazer dietas com grandes restrições calóricas, para não prejudicar a oferta de nutrientes ao bebê, como cálcio e vitamina D“, explica Thelma. A montagem do cardápio deve ter a supervisão de um nutricionista.



Siga uma dieta equilibrada



E variada, com verduras, frutas, legumes, cereais, leguminosas, carnes e laticínios. Beba bastante líquido e evite alimentos muito calóricos e pouco nutritivos, como doces, frituras e refrigerantes. Uma boa alimentação faz toda a diferença na hora de perder peso, já que, nessa fase, não dá pra pegar muito pesado com os exercícios.



Faça exercícios leves.



Para quem sempre se exercitou, inclusive durante a gestação, basta esperar uma semana antes de voltar ao ritmo anterior. Já as pessoas sedentárias precisam esperar o restabelecimento do parto, que leva em média, 20 dias. “Para a redução de peso, a atividade mais recomendada é a aeróbica, como caminhar, andar de bicicleta, correr ou nadar. Porém, o alongamento, a ioga e o relaxamento também são importantes para o período do puerpério”, explica a professora Fernanda Varkala, coordenadora do curso de Fisioterapia da Uninove.

Fonte: Revista Pais e Filhos

Nenhum comentário: