Páginas

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Os Slings na UOL

Vamos "slingar" nossos bebês?


O termo "slingar" pode soar estranho para algumas mamães, até porque algumas delas jamais ouviram falar nisso, mas pode se tornar um parceiro inseparável pós-gravidez. Explicando bem: "slingar" é carregar o bebê em uma tipoia junto ao corpo. Essa tipoia chama-se sling e por isso "slingar" o bebê.

Várias celebridades, entre as quais Angelina Jolie, já estão desfrutando dos benefícios de um sling. É um pano envolto nos ombros e costas, onde o bebê é colocado como se estivesse em uma rede. Conforme o bebê cresce, pode colocá-lo sentado com as perninhas para dentro ou para fora. E outro item importante é que o papai também pode usufruir desse novo benefício.


Isso lhe parece desconfortável e que logo terá dores nas costas? Pelo contrário, o sling equilibra o peso da criança sobre os ombros e costas da mamãe ou do papai, sendo o risco de dores nas costas menor do que quem carrega o bebê nos braços.

Além do menor risco de dores nas costas por conta do equilíbrio do peso que o sling oferece, nessa tipoia os pais não cansam os braços, estão sempre com seu bebê juntinho do corpo e ainda ficam com os braços livres para fazer o que quiser.

Já com o bebê nos braços, a mamãe logo se cansa e o coloca em um carrinho ou no berço, perdendo os benefícios de estar pertinho do calor e cheirinho da mamãe ou do papai.

Bebê quietinho no colo dos pais - O sling tem mais benefícios para os pais e o bebê. O bebê que fica "slingado" chora 54% a menos a noite e 43% a menos durante o dia. Sabe por quê? Como todo bebê é esperto, ele se sente muito mais protegido e amparado pelos pais, que ficam literalmente colados durante o dia.

Para as mamães que ainda amamentam, o sling deixa a amamentação mais discreta em lugares públicos. A mulher pode amamentar sem ficar constrangida. Para andar alguns quarteirões, a "tipoia" é a melhor opção já que o excesso de buracos nas ruas impede os pais de caminhar com facilidade com o carrinho. Com ele no sling fica mais tranquilo o passeio.

Outros benefícios - Carregar o bebê assim previne a regurgitação e reduz a formação das cólicas, favorecendo a digestão. A mamãe ou papai conseguem fazer as suas atividades conversando com seu bebê já que suas mãos estão livres e o bebê juntinho do peito.

Pais que "slingam" conseguem entender melhor o que seu bebê está querendo, atendendo melhor as necessidades do pequeno. Há um melhor desenvolvimento motor e emocional da criança que é carregada pelo sling. Mas sem esquecer que criança também precisa correr, pular e praticar outras atividades motoras.

Além de tudo isso, o sling proporciona ao bebê a visão do mundo. No carrinho o bebê só enxergava os joelhos dos adultos, no sling conseguem conhecer melhor o mundo.

Dicas

O sling deixa de ser recomendado quando o bebê tiver mais de 10% do peso da mamãe

Nunca troque a cadeirinha de segurança do carro pelo sling que não oferece a mesma segurança para o transporte em um veículo.

Cozinhar não é uma opção para quem está com o bebê no sling. O perigo de queimaduras é grande.

Bruno Rodrigues - Guia do Bebê UOL

Nenhum comentário: