Páginas

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Faça você mesma!!!



Olha so que ideia mais bacana! O site Benegifts oferece toalhas de rosto e mao que mais parecem doces para serem comidos. As toalhas que sao enroladas com cores que lembram guloseimas e enfeitadas com forminha de papel e cereja (ima para geladeira) e' uma otima ideia para presentear sua tia, mae, avo, cunhada, irma.... Nao parece ser dificil de fazer. Ja que esses sites nao estao disponiveis para entrega no Brasil, maos a obra! Customize a sua.

Acima as fotinhas do rocambole e o link para checar mais toalhas com formato de doces. O preco vai de $6,50 a $35,00 dolares.

Tipos de leite

A recomendação da OMS é que o aleitamento materno seja exclusivo até os 6 meses – e que até o segundo ano seja compartilhado com outros alimentos. Até o primeiro ano, caso a mãe não possa amamentar, o bebê deve receber fórmulas infantis próprias, indicadas pelo pediatra.


 Depois disso, o leite de vaca está liberado. Só que nem todo mundo se adapta bem a ele, apresentando irritabilidade intestinal.

A alternativa mais comum é o leite de cabra ou de búfala. Mas, primeiro, é preciso verificar se a intolerância é à proteína do leite ou ao açúcar, chamado lactose.

No primeiro caso, o leite de cabra ou o hidrolisado são alternativas, por terem suas proteínas quebradas em cadeias menores.

No segundo caso, o recomendado é o leite de soja.

Quando: após o primeiro ano. Os leites de vaca, cabra e ovelha têm quantidade excessiva de proteína e sódio, que podem sobrecarregar os rins.

Quanto: 3 porções diárias a partir do segundo ano.

Como: 3 copos (200 ml cada).

Risco de obesidade: não exagere no achocolatado ou no açúcar.








CONSULTORIA: ARY LOPES CARDOSO, PAI DE MARCELO, RICARDO E GUILHERME, NUTRÓLOGO DO INSTITUTO DA CRIANÇA DO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA FACULDADE DE MEDICINA DA USP, TEL.: (11) 4617-3766 * JONAS AUGUSTO CARDOSO DA SILVEIRA, FILHO DE ROZENIRDE E JONAS, NUTRICIONISTA DO DEPARTAMENTO DE PEDIATRIA DA UNIFESP

Seu marido é melhor do que nenhum marido (crônica Revista Pais e Filhos)



Eu amo o seu marido

por Lori Gottlieb (Revista Pais e Filhos)



TALVEZ ELE NÃO SEJA PERFEITO, MAS, COMO MÃE SOLTEIRA, VOU CONTAR POR QUE SEU MARIDO É MELHOR QUE NENHUM MARIDO


Um mês depois que minha filha nasceu, uma amiga me ligou. Xiiii, pensei. Ela vai reclamar do marido outra vez. Com o telefone num braço, meu bebê em outro, eu não estava com paciência. "Você não acredita", suspirou ela, e já foi reclamando que o marido tinha usado a pomada errada ao trocar a fralda. Não sabia o que dizer. Pra mim, o marido dela parecia um sonho. Explico: a maioria dos maridos parece um sonho porque sou mãe solteira.

Com meu relógio biológico batendo, escolhi ter um bebê por conta própria. Não me arrependo, estava ciente do tamanho do desafio. Mesmo assim, essa história de marido não ajudar não cola comigo. A menos que o bebê tenha chupado um tubo de pomada, eu perdoaria qualquer erro na troca de fraldas. Especialmente se este homem for alguém que eu amo e que adora meu bebê. Não estou tentando justificar o fato de alguns maridos não ajudarem, mas, enquanto as mães focam no que eles não fazem (ou fazem errado), eu percebo o quão útil esses pais são. Então, aqui vão algumas razões para você dar valor ao seu marido.

1. Ele lhe dá a chance de dormir

Eis a verdade sobre os bebês: eles acordam às 6h30, mesmo no fim-de-semana! Então, não acreditei quando uma amiga, cujo marido cuida do filho de 2 anos aos sábados de manhã, queixou-se de que a criança tinha batido a cabeça num dia desses. Fala sério.

2. Ele monta a tralha do bebê

Sei que é irritante quando um homem se recusa a ler instruções. Mas, ainda que demore para montar o balanço, não é ótimo quando fica pronto e o bebê cai no sono? E você nem teve de descobrir qual é a chave de fenda comum e qual é a Phillips?

3. Ele a ajuda sem você perceber

Talvez você seja a única que ensina a criança a usar o penico, que dá comida e leva as crianças ao médico. Mas, me responde: quando foi a última vez que você consertou a torneira que estava pingando e arrastou uma escada para mudar as lâmpadas no lustre? Não consegue se lembrar? Hummm. Então, quando seu marido voltar para casa tarde e você olhar feio porque ele devia ter ajudado com o jantar, lembre-se de que ele tem muito o que fazer também.

4. Ele faz massagem nas suas costas

Escuto o tempo todo: "Meu marido massageia minhas costas, mas depois ele quer sexo, e eu estou cansada demais!” Ok, é possível que ele tenha segundas intenções, mas, depois de um longo dia com crianças, não dar valor ao luxo de uma massagem feita por um homem que te acha sexy mesmo sem você ter depilado suas pernas? Pense nisso: sempre que você quiser ser tocada, tem de fazer depilação, achar uma roupa que não esteja suja de leite, se maquiar, ir até um restaurante para a mera possibilidade de um carinho enquanto a conta da babá aumenta a cada minuto. Além do mais, com pessoas pequenas agarrando você todo dia, não é bom ser tocada por alguém um pouco maior?

5. Ele ama seus filhos

Existe algo mais emocionante que um homem arrulhando num tom agudo para um bebê dando risadinha? Sei que isso não apaga todos os seus defeitos. Mas, de vez em quando, você deve olhar seu marido da maneira que outras pessoas olham. Se ainda sentir necessidade de se queixar, aqui está uma ideia: mande ele pra minha casa! Acredite, eu saberia como usar a ajuda dele.

Gripe




Durante a gravidez, o sistema imunológico sofre alterações. É por isso que grávidas fazem parte do grupo de risco para qualquer tipo de gripe, suína ou não.

Estudo feito nos EUA mostra que mulheres grávidas infectadas pelo H1N1 (o vírus da gripe suína) estão 4 vezes mais mais propensas a complicações. E as complicações respiratórias são a principal causa de morte materna não relacionada à gravidez e ao parto, mesmo antes da pandemia, sabia?

Pois é. Muitos médicos recomendam que as gestantes sejam vacinadas contra a gripe, mas a orientação não é unânime. Pergunte a opinião do seu.

 Também não é demais repetir o básico: lave sempre as mãos, use álcool em gel e evite beijos, abraços e ambientes fechados. Ao menor sinal de gripe, informe seu médico, que pode recomendar antivirais.

Há casos de grávidas que pegaram a doença, e o bebê nasceu sem anticorpos para H1N1, o que pode significar que a placenta serve de barreira, mas ainda é cedo para ter certeza. O importante é manter a calma e agir rápido.



CONSULTORIA: ANTONIO FERNANDES MORON, PAI DE RAFAEL, PEDRO HENRIQUE E LARISSA, PROFESSOR TITULAR DO DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA DA UNIFESP. TEL.: (11) 5572- 4449 * ROSANA RICHTMANN, MÃE DE RENATA E CAIO, MÉDICA INFECTOLOGISTA DO INSTITUTO EMÍLIO RIBAS E PRESIDENTA DA COMISSÃO DE CONTROLES DE INFECÇÕES DO HOSPITAL SANTA JOANA E DA PRO MATRE. TEL.: (11) 3887-6950

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Saiba tudo sobre mamadeira anti-cólica ou mamadeira anti-refluxo

É unanimidade entre as mamães querer amamentar o seu bebê. O leite materno contém todas as substâncias necessárias para satisfazer as necessidades nutricionais do bebê, além de satisfazer uma necessidade biológica primária do bebê. Mas infelizmente algumas mamães não conseguem amamentar o seu bebê, sendo necessário recorrer às mamadeiras.



Neste caso, existem mamadeiras que atendem melhor a fisiologia do recém-nascido, são as mamadeiras antirefluxo, conhecidas também como mamadeiras anticólicas. Elas possuem um sistema de fluxo continuo que trabalha com o ritmo de amamentação natural do bebê, o que ajuda a reduzir a alimentação em excesso e o regorgitamento.

A estrutura de válvula permiti a entrada de ar na mamadeira evitando a formação de vácuo, as bolhas de ar ficam no fundo da mamadeira e não se mistura no líquido, reduzindo sensivelmente a incidência de cólicas e gases no bebê. Por assegurar um ritmo de sucção ideal, torna o aleitamento artificial um momento de tranquilidade e naturalidade.


Conheça as melhores mamadeiras Anti-Cólica:
Chicco (Fisiológica Angular): É prática e higiênica. O bico não é ortodôntico e sim fisiológico. Possui base removível, facilitando a limpeza. Possui um sistema que evita a formação de bolhas, reduzindo a possibilidade do bebê regurgitar. Inclinação de 30 graus, facilitando o aleitamento. O bico fica sempre cheio de leite, reduzindo a incidência de soluço e cólica. Disponível na versão de 250 ml.


Mam (Ultivent): Muito prática na hora de lavar. O bico é de silicone e ortodôntico simétrico, funcionando por compressão labial. A sua vedação não permite o vazamento do leite. O bico e a válvula funcionam em harmonia, liberando o líquido continuamente, reduzindo a incidência de soluço e cólica. Disponíveis nas versões de 160 e 260 ml, nas cores rosa e azul.


Philips Avent (Airflex): O bico exclusivo controla o fluxo do líquido, reduzindo a superalimentação e golfadas. A válvula interna fica localizada no bico da mamadeira. O sistema de diafragma, é flexionado para permitir a entrada de ar na mamadeira, reduzindo a cólica do bebê. Disponíveis nas versões de 125 e 260 ml.


Dr. Brown’s (Standard): O bico não é ortodôntico e sim fisiológico. Possui um sistema de ventilação interno que elimina o vácuo e as bolhas de ar. O bebê mama sem aspirar o ar, reduzindo a cólica e gases. Este sistema de válvula é o menos prático na hora da limpeza. Disponíveis nas versões de 120 e 240ml.



Para o maior conforto do bebê, vale a pena investir nas mamadeiras anti-refluxo, o preço delas variam de R$18 à R$40.

O Ministério da Saúde adverte: A criança que mama no peito não necessita de mamadeira, bico ou chupeta. O uso de mamadeira, bico ou chupeta prejudica o aleitamento materno.






Como preparar os seios antes da amamentação?

Durante a gestação várias medidas devem ser tomadas para preparar os mamilos para amamentação.

Inicialmente deve identificar o tipo de mamilo, pois receberão tratamentos e massagens diferentes, a saber:


Mamilos invertidos, curtos ou planos: Deve ser feita uma massagem para estimular a saída do bico para fora, muitas vezes isso acontece naturalmente durante a gestação, mas o ideal é que a gestante faça massagem para estimular esta saída.
A massagem consiste em segurar a extremidade do bico do peito com o polegar e o indicador e rodar os dedos, como se estivesse aumentando o volume do rádio. Podem ser usadas também as Conchas para Preparação de Mamilo que ajudam na projeção dos mamilos para frente, revertem a inversão, corrigem o achatamento e aumentam o comprimento dos mamilos, todo este processo é indolor.

Mamilos normais: Deve estimular as glândulas mamárias, segurando o seio com as duas mãos, uma de cada lado, e fazer uma pressão até o bico. Repetir o movimento cinco vezes com delicadeza, mas com energia. Este mesmo movimento deve ser feito com uma mão em cima e a outra embaixo do seio. Esta massagem contribuirá com a descida do leite.

Os cuidados padrões para todas as mamães são:

Lavar o bico do peito apenas com água, pois os sabonetes podem hidratar os mamilos, e estes precisam ficar resistentes, apenas com a hidratação natural. Não utilizar hidratantes ou óleos na região dos mamilos;

Diariamente, esfregue um tecido felpudo e macio ou esponjinha nos bicos das mamas, deixando-os expostos ao ar durante alguns minutos para deixar a pele mais resistente;

Tomar banho de sol ou utilizar lâmpada comum diretamente nos mamilos, durante uns 10 à 15 minutos, todos os dias, para deixar a pele mais resistente

Tomando estes cuidados irá reduzir significativamente a dificuldade de sucção que o bebê irá fazer no ato da mamada e as demais complicações relacionadas à amamentação. É extremamente a mamãe preparar os seios e a mente durante a gestação, para garantir uma amamentação saudável e tranqüila.

sábado, 26 de setembro de 2009

O que é Humanização?


Humanização do parto é mudança de atitude. É ter sensibilidade, é um olhar diferente, é saber ouvir, é enxergar as possibilidades e os limites da parturiente. É entender a parturiente respeitando suas crenças, valores morais e culturais.

É necessário estar atento às expectativas da gestante quanto ao seu parto. É estar à disposição para tirar dúvidas e dar orientações para boa evolução do parto.

Humanizar o parto é dar o direito a privacidade, é ter o acompanhante de sua escolha, é permitir que a parturiente se alimente, é ter liberdade de movimentação, evitando-se ficar deitada, é dar direito de a parturiente escolher a posição de parto. É não separar o bebê da mãe.

Humanizar é utilizar o mínimo de intervenção possível na assistência ao parto, como preconiza a Organização Mundial de Saúde, evitando-se enteroclisma (lavagem intestinal), raspagem dos pêlos pubianos, acesso venoso, uso de ocitocina para acelerar o parto e episiotomia de rotina. E se qualquer intervenção for necessária, deve ficar bem claro ao casal a sua real necessidade.

Viagens de avião

Quase todas as companhias aéreas aceitam transportar mulheres com até 36 semanas de gestação, mas é possível que peçam um atestado médico para comprovar que você pode viajar sem problemas. Informe-se com antecedência sobre as exigênias da empresa aérea.
  1. Estique as pernas: Em viagens mais longas, levante-se de vez em quando e caminhe pelo corredor do avião. Se você permanecer sentada por muito tempo, o sangue pode ficar estagnado em suas veias. A caminhada ativa a circulação e ajuda a evitar que você não tenha Trombose Venosa Profunda (TVP).
  2. Beber bastante água: Leve uma garrafa com água e beba com frequência, pois você pode ficar desidratada - a umidade relativa dos aviões é tão baixa quanto a do deserto do Saara.
  3. Sente-se numa poltrona no corredor: reserve um assento no corredor, para não ter de se preocupar em incomodar seu vizinho quando precisar ir ao banheiro, ir dar uma voltinha.
  4. Use o cinto abaixo do abdômen.

Fraldas de pano Praticidade X Meio Ambiente


Você trocaria 5.500 fraldas descartáveis (média que um bebê gasta até 2 anos de vida) por 65 fraldas de pano?
Muitos americanos, europeus e agora muitos brasileiros estão trocando...

É lógico que não são aquelas fraldas brancas dobradas em triângulos e presas com alfinetes! São em formato de fralda descartável, lavável direto na máquina e vai na secadora de roupas.

Uma fralda demora nos lixões cerca de 450 anos para se decompor, você tem noção de quantas gerações sua vão presencear isso?

São abatidas cerca de 5 árvores para fabricação dessas 5.500 fraldas que serão usadas em 2 anos. Um bilhão de árvores são usadas no mundo inteiro para suprir a indústria de fraldas.

Existem papeletas feitas de 100% celulose, feitas do mesmo material de lecinhos umidecidos, que podem ser colocadas nas fraldas e retém o grosso da eliminação e depois você pode jogar direto no vaso sanitário.

Por outro lado, a praticidade das fraldas plásticas que você usa e depois joga fora, a vida corrida, trabalho, casa, marido...

Mas uma hora vamos ter que parar tudo e repensar no que estamos fazendo com o planeta, você já não entende mais o clima, no mesmo dia amanhece sol, chove à tarde e faz um frio à noite. As estações do ano, estão modificando.

No Brasil, nunca tínhamos escutado falar sobre tornados e agora já tem...

Temos que pensar no futuro das próximas gerações!



quinta-feira, 24 de setembro de 2009

A escolha do sutiã para amamentação

Se você pretende amamentar, o sutiã que vai comprar em torno da 36 semana deverá ser próprio para amamentação.

Um bom sutiã deve ser sem armação de arame e expor um seio de cada vez. Há vários tipos á venda, como o que abaixa o bojo; quando cada bojo pode ser desprendido da alça; os que levantam o bojo; e os que abrem na frente, quando cada bojo é preso por colchetes à parte central do sutiã.

Se você preferir usar tops, eles também podem ser encontrados em modelos para amamentação!

Qualquer que seja sua escolha, verifique se consegue abrir e fechar o sutiã com uma só mão, uma vez que a outra estará segurando o bebê.

Quantos detalhes né! Uffaa

5 acessórios úteis na gravidez:

  1. Expansores de sutiã podem ser úteis nas primeiras etapas, quando seu peito já alargou, mas o tamanho dos seios ainda não. Esses extensores devem ser presos aos colchetes dos sutiãs.
  2. As meias-calças paea grávidas são mais amplas na frente, para acomodar a barriga, e tem o elástico mais alto, para não sair do lugar. Se você está com dores nas pernas, ou pés, varizes, use meias elásticas com compressão, existem 3 tipos: suave, média ou forte compressão. Vista-as de manhã antes de sair da cama.
  3. As calcinhas do tipo biquini, ajustam-se abaixo da barriga, as normais as cobrem. Se você sofre sente sua barriga pesada há modelos próprios para gestantes, com barrigueira. O ideal é não ter elástico apertado, para não piorar ainda mais a circulação dos membros infeiores.
  4. Cintas de apoio são faixas especiais que se ajustam em torno da barriga para apoiá-la, aliviando as dores nas pernas e costas. Podem ser muito úteis em gravidez múltiplas. Se você decidir comprar NÂO a use o tempo todo, pois podem causar enfraquecimento da musculatura abdominal.
  5. A natação é uma das formas de exercícios mais segurar e eficazes na gravidez. Há maiôs especiais para gestantes que acompanham o crescimento da barriga!

Encontre Paz na meditação

Durante a gestação você fica em um estado de acuidade mental muito exacerbado. Pode debulhar-se em lágrimas ao saber de uma notícia que normalmente não a afetaria, se irrita muito ao dirigir, todos os outros motoristas são lerdos, barbeiros rsrsrs...
Alguns objetos em casa, talvez de sua infância, podem adquirir um outro sentido e fazer seus pensamentos vaguearem pelas recordações.
Você se torna consciente do próprio corpo e das mudanças que le está sofrendo. A meditação, que envolve concentrar os pensamentos e as emoções, pode ajudá-la a tirar o máximo proveito dessa
autoconsciência, enquanto lhe permite alcançar um estado profundo de relaxamento.

Porém, caso você esteja se sentindo muito deprimida é melhor evitar a meditação. A profunda introspecção que ela estimula pode perturbá-la, caso seus sentimentos sobre sí própria e sobre os outros não estiverem equilibrados.

A meditação não pode ser aprendida numa só sessão. Precisa ser praticada regularmente. Há duas simples maneiras de concentrar a mente: mantras e visualização. Tente alterná-las a cada dia.

MEDITE COM MANTRAS:

Procure um local tranquilo, onde não seja perturbada por luzes fortes ou ruídos repentinos. Sente-se confortavelmente e comece a meditação, concentrando-se na respiração.

Inspire profundamente e expire lentamente, deixando o corpo todo relaxar. Repita até sentir-se totalmente relaxada.

Seu mantra deve ser uma palavra que acompanhe a respiração, como "bebê" ou "relaxe". Ao inspirar, diga a sí própria em silêncio "be..." e, ao expirar, diga "bê...", ou simplesmente pense na palavra Paz.

Concentre sua mente exclusivamente na palavra que está repetindo. Quando a mente vaguear, traga-a de volta para o mantra. Continue repetindo até que o mantra substitua qualquer pensamento.
Pratique e fique em paz!

VISUALIZE SEU BEBÊ:

Essa é uma técnica muito útil pra usar antes do parto, normalmente indico para todas gestantes que atendo.
Acomode-se confortavelmente, coloque uma vela acesa em sua frente e olhe para a chama, focalize o olhar.

Você tomará consciência das diferentes nuances e intensidades de luz na chama, desde o branco quente do âmago até os amarelos e laranjas que tremeluzem ao seu redor.

Quando os olhos começarem a pesar, deixe que se fechem devagar, mas continue a enxergar a chama mentalmente. Imagine seu Bebê na chama, rodeado de luz, e deixe-o inspirar seus pensamentos.

Acalme-se com uma massagem

A massagem é uma maneira perfeita de ajudar você a relaxar durante a gravidez, porque estimula a liberação de endorfinas - opiáceos naturais do corpo, que provocam sensação de bem-estar. Além disso, a massagem também tem efeitos benéficos sobre a circulação, digestão e sistema excretor, que ficam sobrecarregados quando você está grávida.
Embora, em geral, não traga riscos, é bom conversar com o médico antes de submeter-se a qualquer tipo de massagem. Sempre informe a quem for lhe fazer uma massagem que está grávida. Evite massagens fortes no abdomên.
Será ótimo que a pessoa que vai acompanhar seu trabalho de parto faça massagens em você no decorrer da gestação, porque ela conhecerá as partes do seu corpo mais sensíveis aos estresse e os tipos de massagens mais relaxantes para você!
O Creme ideal é sem cafeína, pois estimula contrações e se for usar oléos essenciais, especialistas contra-indicam certos aromas, tais como; sálvia, alecrim e menta.
Procure um profissional especializado! O barato às vezes sai caro...

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A benção de ser Mãe...


Uma criança pronta para nascer perguntou a Deus:

- Soube que estarei em breve sendo enviada á Terra. Como eu vou viver lá, sendo assim pequeno e indefeso?E Deus lhe disse:

- Entre muitos anjos eu escolhi um especial para você. Ele estará lhe esperando e tomará conta de você.

E a criança perguntou:- Aqui no céu eu não faço nada a não ser cantar e sorrir, o que é suficiente para que eu seja feliz. Serei feliz lá?

Deus respondeu:- Seu anjo cantará e sorrirá para você... A cada dia a cada instante você sentirá o amor dele e será feliz.- Como poderei entender quando falarem comigo se eu não conheço a língua que as pessoas falam?

E Deus afirmou:- Com muita paciência e carinho, seu anjo lhe ensinará a falar.- E o que farei quando quiser Te falar?- Seu anjo juntará suas mãos e lhe ensinará a rezar.

E a criança ainda perguntou a Deus:- Eu ouvi dizer que na Terra há homens maus. Quem me protegerá?- Seu anjo lhe defenderá mesmo que signifique arriscar sua própria vida.- Mas eu serei sempre triste porque eu não Te verei mais, disse a criança.- Seu anjo sempre lhe falará sobre Mim e lhe ensinará a maneira de vir a Mim. Eu estarei sempre dentro de você.Nesse momento havia muita paz no céu, mas as vozes da Terra já podiam ser ouvidas pela criança.

Ela apressada suplicou a Deus:- Está chegando a hora de eu ir. Agora diga, por favor, o nome do meu anjo.

E Deus respondeu:- Você chamará seu anjo de MÃE!

O que levar para a maternidade?

Você sabe o que você tem que colocar na mala para maternidade?
O ideal é separar saquinhos com o kit do dia (roupas) para que assim que a enfermeira pedir a roupinha, você não ter que separar na hora e ás vezes na correria não acha!






Mamâe:
• 2 camisola com penhoar ou não (com abertura na frente)
• 1 pijama  (com abertura na frente)
• 2 sutiã para amamentação
• 1 par de conchas para os seios
• 1 pacote - absorventes para os seios
• 1 pacote - absorventes pós parto
• 1 malha compressiva pós parto (a cinta que eu indico é aquela que parece um meio maiô com colchetes na frente da loja Nova Forma, pois depois que você vai desinchando você leva lá para apertar!)
• Calcinhas pós parto (altas e sem elástico, é o ideal)
• 1 par de chinelos de borracha
• 1 kit higiene (shampoo, condicionador, sabonete, desodorante, pasta, escova de dentes, pente para cabelo, 1 toalha de banho e 1 toalha de rosto, baton, roupão atoalhado)
• Vestido para sair da maternidade.





bebê:
• 3 conj. Pagãozinho (RN)
• 2 macacões de manga comprida (RN)
• 2 body com manga longa (RN)
• 2 body com manga curta (RN)
• 6 fraldas de pano
• 1 cueiro
• 1 saco
• 1 manta de piquet
• 2 pares de meia
• 2 pantufas e luvas
• 2 pacotes de fraldas (RN)
• Kit higiene (RN) (escova e pente, lenços umedecidos, pomada para assaduras)
• Enfeite de cabeça
• Saída da maternidade
• 1 sapatinho





Outros:
• 1 enfeite de porta
• Máquina fotográfica (observar pilhas, ou bateria e se o cartão de memória não está cheio)

Ahh! Não esqueça da mala do acompanhante! Seja ele o papai ou a vovó.

sábado, 12 de setembro de 2009

Quem somos nós?


Ontem estava no consultório e andando pela recepção, escutei uma gestante dizer que iria conversar com a médica para marcar a cesárea dela para antes da data prevista que seria dia 25 de Dezembro, pois ela não gostaria que seu filho ficasse sem festinha na escolinha....


Quem somos nós para escolher a data de um nascimento? Acredito eu, que exista muita coisa além dessas pequenas coisas.


É claro que existem casos e casos, mas estou dizendo de uma mulher saudável, jovem. Luto pelo poder da escolha, mas será que neste caso existe falta de conhecimento? Imaturidade? Praticidade? O que será?


Para mim, mesmo a cesárea (procedimento cirúrgico) não precisa ser previamente marcada (quando marcada 2 a 3 meses antes), acredito eu, que o bebê tem que dar algum sinal "dizendo que quer nascer".


A mulher está perdendo uma grande chance de provar a força que elas possuem, fugindo antes mesmo de sentir o que é uma contração.

Dor é muito relativa, e a experiência de parto de cada mulher é diferente uma das outras.


Vamos repensar sobre a forma de nascer! Mulheres acreditem no seu potencial!


O mais importante é tentar! Mesmo que no fim, não sai da forma mais natural possível, mas você tentou, você sentiu e no próximo você vai poder escolher o que é melhor para você!


Não passem esta responsabilidade (nascimento) para "os outros" ela é sua também!
A escolha está nas suas mãos!


Pensem Nisso!

Bjs

Paula

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Como fazer um ofurô para bebês




A moda agora é o ofurô para bebês, mas o que é isso exatamente?








È um balde próprio para o banho chamado tummy tub, muito indicado para fazer com que o bebê se acalme e relaxe, pois a posição em que ele fica lembra o posicionamento intra-uterino. Mas não é muito acessível (custa em torno de r$ 130 a R$199), então dá para improvisar...


Você compra um balde da marca SanRemo de 17 litros com bordas arredondadas, colocar um piso antiderrapante no fundo e está pronto seu ofurô.

É muito legal para os primeiros banhos, podendo se extender por anos... Normalmente, estimulo a todos os papais a usarem este método pois eles se sentem mais seguros, diferentemente da banheira. Além de fortalecer ainda mais o vínculo pai e filho!


(Ofurô Improvisado)


Experimente!! Seu bebê vai adorar!




quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Estética na gravidez


Estética na gravidez: veja os tratamentos que você pode fazer
Publicada em 21/11/2006 às 11h48m Simone Magalhães - Globo Online

Durante os nove meses de gestação, mudanças graduais vão ocorrendo em seu corpo. Dentre as alterações mais freqüentes estão as mudanças na pigmentação, na fisiologia vascular, nos cabelos, unhas e pele. Também é recorrente o surgimento de varizes e edemas. Mas, nem tudo está perdido. Pelo contrário. Existem procedimentos estéticos e de relaxamento que a gestante pode realizar para ficar ainda mais bela nesse momento.
A estudante de enfermagem Maria Carolina de Abreu Raymundo, de 24 anos, está de 6 meses e embora tenha engordado apenas 5 quilos e meio até agora e - pasmem! - não tenha estrias nem celulite, não descuida do visual.
- Na verdade, eu me preocupo mais com a saúde do que com a estética, com a vaidade. Mantenho uma dieta balanceada, com muitas frutas, legumes e verduras. Mas queria um tratamento que aliasse cuidados com o corpo e métodos que relaxassem. Aí, vi pela internet o Insituto de Dermatologia e Estética do Rio de Janeiro e resolvi conhecer.
Segundo Ana Carolina, além do relaxamento que tem proporcionado a diminuição da sua ansiedade, os procedimentos estéticos estão ajudando num problema de acne - que aumentou com a gravidez - e na diminuição de sua pressão arterial.
- O que eu mais gosto são os banhos no ofurô. Fico lá por uns 30 minutos, com água na temperatura ambiente, com flores, velas perfumadas, essências e uma música relaxamente. Também gosto dos óleos essenciais na terapia das pedras quentes, que são colocadas nos meus chacras. O óleo de semente de uva, específico para o meu caso, me deixou muito tranqüila. A drenagem linfática também é boa - conta.
Ana Carolina queria evitar a retenção hídrica, um de seus fantasmas. E conseguiu.
- Mais do que tudo, acredito muito em revitalização de energia. E acho que é isso que a gente consegue fazendo os tratamentos - observa.
Para a estudante, a acupuntura facial também trabalha a ansiedade e dores no corpo.
- Você sente só como se fosse uma picadinha de mosquito. Não dá para ter medo - afirma.
A fisioterapeuta Isabella Vasconcelos e a dermatologista Letícia Spinelli, ambas do Instituto de Dermatologia e Estética do Rio de Janeiro (Iderj), prepararam para o Maternidade uma relação de procedimentos estéticos e de relaxamento aconselhados, ou não, durante a gravidez.
Procedimentos que podem ser realizados durante a gravidez:

Drenagem linfática:
É o tratamento estético mais indicado para a gestante, por ser uma massagem suave e lenta. “Ajuda a reduzir a retenção de líquido no corpo e diminui os inchaços típicos da gravidez, auxiliando, assim, na redução da celulite”, afirma Isabella Vasconcelos.
Acupuntura estética:
- Facial: Diminui edemas e rugas de expressão, e atua no rejuvenescimento dos tecidos. “Uma das maiores queixas da gestante é em relação ao inchaço, e a acupuntura estética facial traz um ótimo resultado nesse sentido e não tem contra-indicação”, aponta Isabella.
- Corporal: O uso da acupuntura direcionada para drenagem linfática auxilia na diminuição da retenção de líquidos.
Terapia de pedras quentes :
A terapia de pedras quentes é realizada com pedras vulcânicas que, depois de banhadas em óleos aromáticos, entram em contato com a pele. “Trata-se da aplicação conjunta da massoterapia e da termoterapia. Por meio da variação de temperatura, a massagem com pedras intensifica a resposta fisiológica do corpo”, complementa Isabella, alertando que a massagem não deve ser feita na barriga, "a pedra só fica posicionada nesse chacra". Essa terapia proporciona à gestante relaxamento e alívio de dores musculares.
Banho de ofurô drenante :
O banho drenante é feito em temperatura ideal e contém oligoselementos (fitoterápicos – ervas e ativos) que auxiliam na desintoxicação e drenagem, sendo, por isso, muito indicado para gestantes. “O banho estimula os vasos linfáticos a reabsorverem o líquido quer extravasou dos vasos”, explica a fisioterapeuta.
Terapia capilar:
Alguns tratamentos capilares não são aconselhados durante a gestação em virtude do uso de produtos químicos. Porém, a terapia capilar que utiliza argila, óleos essenciais e algas pardas pode ser realizada sem restrições. A terapia é indicada para a hidratação e tratamento do fio e do couro cabeludo, além de atuar com sucesso na queda de cabelo suave. Em alguns casos, é utilizado o laser superficial, aumentando a vascularização couro cabeludo e atuando na oleosidade. “A terapia capilar hidrata os fios e atua no combate à oleosidade excessiva, dando volume e aspecto saudável aos cabelos”, complementa a especialista.
Peeling de cristal :
É realizado com um aparelho que possibilita uma abrasão leve à moderada para a retirada de tecido morto, a paciente pode retomar suas atividades logo após a realização do procedimento. Ajuda a combater as estrias, típicas do pós-parto. “Pode ser utilizado durante a gravidez, pois não são utilizadas substâncias que podem ser absorvidas pela pele, ele é um peeling mecânico”, justifica Letícia Spinelli.
Limpeza de pele :
Algumas mulheres notam um aumento da oleosidade da pele e surgimento de acne, principalmente no primeiro trimestre. “A limpeza de pele não apresenta, contra-indicações para gestantes, a não ser quanto ao uso de alguns ácidos”, conclui a especialista.

Procedimentos que devem ser evitados durante a gravidez:

Drenagem linfática mecânica ou endermologia:
Realizada com o auxílio de um aparelho, só é indicada após o parto, pois não há controle da pressão exercida sobre o corpo. “As sucções são muito fortes e deixam os vasos mais frágeis, devido ao aumento de volume sanguíneo e alterações hormonais, o que pode aumentar o risco de varizes na gestação”, comenta Isabella.
Estimulação russa:
Procedimento realizado através de um aparelho que emite impulsos elétricos aos músculos, tratando a flacidez. “Não é indicada porque os estímulos elétricos podem causar contração uterina e antecipar o parto”, explica a fisioterapeuta.
Terapias intradérmicas ou mesoterapia:
São realizadas a partir de injeções de substâncias para combater gorduras localizadas e celulites. Não devem ser usadas nem no pós-parto, caso a gestante esteja amamentando. “Não se sabe se essas substâncias ultrapassam a barreira placentária ou se o bebê as absorve pelo leite materno”, afirma a especialista.
Peeling químico:
O peeling realizado com ácidos é utilizado no rejuvenescimento cutâneo, no tratamento de acne e manchas, mas não é recomendado para gestantes. “Como não há evidências conclusivas quanto à ação dos ácidos, orienta-se à gestante que não faça tais procedimentos estéticos, pelos menos até terceiro mês de gestação. Isso pode afetar a formação e o desenvolvimento do feto”, diz a dermatologista.
Rejuvenescimento com uso de toxina botulínica :
A aplicação da toxina botulínica é utilizada para o rejuvenescimento através da paralisação dos músculos da face. A toxina é absorvida pela corrente sangüínea e, por isso, não é recomendada durante a gestação. “Não há estudo nesse sentido, pois não seria ético utilizar mulheres grávidas na pesquisa”, finaliza a especialista, afirmando que a regra é evitar tudo que se tem dúvidas, uma vez que a gestante fica mais predisposta a reações alérgicas devido às mudanças no organismo.

Agradecimentos ao Instituto de Dermatologia e Estética do Rio de Janeiro (Iderj) - http://www.iderj.com.br/
MENINAS VAMOS NOS CUIDAR!

Nossa Senhora do Bom Parto


ORAÇÃO À NOSSA SENHORA DO BOM PARTO

Ò Maria Santíssima, vós, por um privilégio especial de Deus, fostes isenta da mancha do pecado original, e devido a este privilégio não sofrestes os incômodos da maternidade, nem ao tempo da gravidez e nem ao parto; mas compreendeis perfeitamente as angústias e aflições das pobres mães que esperam um filho, especialmente nas incertezas do sucesso ou insucesso do parto. Olhai para mim, vossa serva, que na aproximação do parto, sofro angústias e incertezas. Dai-me a graça de Ter um parto feliz. Fazei que meu bebê nasça com saúde, forte e perfeito. Eu vos prometo orientar meu filho sempre pelo caminho certo, o caminho que o vosso filho, Jesus, traçou para todos os homens, o caminho do bem.
Virgem, Mãe do Menino Jesus, agora me sinto mais calma e mais tranqüila porque já sinto a vossa maternal proteção.
Nossa Senhora do Bom Parto,ROGAI POR NÓS!

Oração antes do nascimento do nenê

Deus, nosso senhor, fizestes em mim "grandes coisas", como outrora em Maria de Nazaré.um filho irá nascer, do amor entre mim e meu marido.
Estou aqui, diante do presépio do Menino Jesus, para sentir, o que Maria sentiu na santa noite de natal.Enriquecei meu filho das mais belas qualidades e daí-lhe bom coração.Abençoai, ó Deus, a mim e meu marido, ficai comigo nestes mêses de espera.Velai sobre nós dois, amém.

Oração após o nascimento do nenê

Deus, Nosso Pai, olhai para mim, quando de novo apareço nesta igreja.Maria, após o nascimento de seu filho Jesus, se dirigiu ao templo de Jerusalém para agradecer.Assim vim eu a esta igreja para vós oferecer meu filho e receber vossa benção.Eu vos prometo, ser sempre uma boa mãe, dando exemplo de virtude e piedade.Abençoai meu marido e meu filho a fim de que estejamos sempre unidos e felizes.Maria, modelo das mães; ajudai-nos a construir um lar, que seja para o nosso filho, primeira escola e igrejinha.Possa nosso filho aí aprender a fazer, seus primeiro passinhos no caminho do bem;amém.


Fonte: Site Paróquia Nossa Senhora do Bom Parto

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Direitos no parto e no pós parto

Toda mulher tem direito a uma gravidez saudável e a um parto seguro. Muitos dos direitos da mulher na hora do parto e pós-parto são desrespeitados muitas vezes por falta de conhecimento da própria mãe. Aqui vamos relatar os direitos da mulher na hora do parto e no pós-parto.

Nenhum hospital, maternidade ou casa de parto pode recusar um atendimento de parto já que é considerado uma situação de urgência. A parturiente só pode ser transferida para outro local se os profissionais da saúde a examinarem e houver tempo suficiente para que chegue no local onde a vaga e garantia de atendimento estiverem confirmadas.

Quando já estiver internada e no trabalho de parto, a mamãe deve ter todas as suas queixas e reclamações ouvidas e dúvidas esclarecidas. Ninguém, isso inclui a equipe do hospital e acompanhante, tem o direito de intimidá-la ou recriminá-la quando gritar, chorar de dor, seja também por qualquer outro motivo. É uma reação normal que toda mulher tem o direito de ter.

As roupas usadas pela mamãe devem ser confortáveis e que não tragam nenhum constrangimento. A mulher à espera de dar à luz também tem o direito de ter um acompanhante na hora do parto de sua própria escolha. O melhor é conversar sobre isto antes do parto.
Converse com a equipe sobre a necessidade de lavagem intestinal e raspagem dos pêlos pubianos, isso nem sempre é necessário, assim como o soro com medicamentos para indução do parto. Esse soro só é necessário em ocasiões especiais. O melhor é pedir explicações sobre todos os procedimentos feitos pela equipe do hospital e estes devem fornecer, pois também é um direito.

Parto - O melhor e mais seguro parto para a mulher é o parto normal e toda mulher tem direito. O parto cesárea é uma cirurgia que tem chances maiores de complicações e só deve ser feito em casos extremos. A equipe deve estar preparada para fazer uma assistência humanizada e de qualidade tanto para a mamãe como para seus acompanhantes.

Se a mamãe quiser, poderá ingerir líquidos durante o trabalho de parto. A equipe hospitalar indicará a hora de fazer jejum.
Na hora do parto, a dor aparece e cada mulher sente essa dor de maneiras diferentes. Umas acham suportável e agüentam um parto sem anestesia, outras não toleram e podem pedir a aplicação de anestesia.

Nem sempre é necessária a episiotomia (corte feito no períneo para aumentar a passagem do bebê e evitar o rompimento da pele da vagina). Pergunte ao médico se no seu caso a episiotomia realmente é imprescindível.

Caso precise de um parto cesárea, é importante que a mulher saiba os motivos da necessidade desta cirurgia. Esse parto só deve ser realizado quando for para o bem da sua saúde ou do bebê.
Depois do parto, a mamãe tem o direito de ter o bebê ao seu lado no Alojamento Conjunto e de amamentar em livre demanda. A separação só precisa ser feia se um dos dois necessitar de cuidados especiais.

Tem direito também de receber informações sobre a amamentação e suas vantagens tanto para você quanto para o bebê. No momento da alta, você deve sair com orientações sobre quando e onde deverá fazer a consulta de pós-parto e do controle do bebê.

Em todo procedimento realizado ou solicitado, a mamãe tem o direito de ser informada com palavras simples sobre os motivos da conduta. E ela tem o direito de escolha quando qualquer procedimento tenha mais de uma opção para ser realizado.

Caso não seja bem atendida em qualquer momento do seu parto, a recomendação é procurar a gerência do serviço de saúde e relatar sua queixa.
Fechar o ciclo - Se a mamãe quiser fazer a ligadura de trompas deve ter certeza do que quer, pois é para sempre. Você tem o direito de ser informada sobre todos os outros métodos para evitar uma gravidez.

Lembre-se que fazer uma cesariana para realizar ligadura de trompas é contra a lei e é um risco desnecessário à sua saúde.
A nova lei sobre planejamento familiar permite a realização da ligadura em mulheres com mais de 25 anos ou com mais de dois filhos. Mas a ligadura não poderá ser feita logo depois do parto ou da cesárea, a não ser que você tenha algum problema grave de saúde ou tenha feito várias cesarianas.
Se você decidir ligar as trompas, saiba que a ligadura pode ser feita gratuitamente nos hospitais públicos e conveniados ao SUS.
Não só a mamãe, mas o papai também tem direitos nos serviços de saúde. Tem o direito de ser reconhecido como pai e não como visita na época do parto, tendo acesso facilitado para acompanhar a mamãe e o bebê a qualquer hora do dia.

Também tem direito de ir à consulta pós-parto da mulher para receber informações e orientações sobre contracepção e prevenção de doenças transmitidas em relação sexual.
A participação do pai durante a gravidez, parto e pós-parto é um dever que deve ser exercido.

Qual o papel do pai?


Muitas gestantes ainda se referem à gravidez com exclusividade, utilizando-se de expressões que, consciente e inconscientemente, transmitem a mensagem que são questões puramente femininas, como se o homem fosse apenas continente de suas angústias e ansiedades e, paradoxalmente, ressentem-se pela indiferença de seus parceiros.

Tais atitudes refletem posturas ancestrais quando, de fato, o homem era excluído da relação e sua participação terminasse no momento em que o bebê era concebido.
Felizmente os tempos mudaram, e o que vemos atualmente é que cada vez mais aumenta o número de homens que desejam participar ativamente do processo da paternidade, constituindo-se num elemento-chave indispensável da equação pré-natal. Assim, não se considera apenas a mulher grávida, mas o casal grávido.

Durante os meses de gestação, o feto ouve a voz paterna e percebe a influência que exerce em sua mãe, através dos batimentos cardíacos, produção hormonal e corrente sangüínea. Tudo quanto afeta positiva e negativamente sua mãe, afeta-o também e as questões conjugais entram em jogo com um grande peso, já que são as que mais atingem emocionalmente a gestante.

A voz paterna é tão importante para a criança que se o pai se comunicar com ela ainda in útero, a criança é capaz de reconhecê-la e de reagir, logo ao nascer. Assim, se por qualquer obstáculo mãe e bebê são separados após o nascimento, e se a mãe estiver impossibilitada de acompanhar sua recuperação, o pai deve assumir e estabelecer contato com ele para que não perca seus referenciais intra-uterinos, podendo sentir-se novamente em segurança.

É' verdade que fisiologicamente o homem está em desvantagem, já que quem gesta o bebê é a mulher, porém, se ela puder ajudá-lo e conseguir introduzi-lo nesta relação tão íntima, fazendo-lhe um lugar, este pai poderá assumir a função que lhe é de direito e de amor e o vínculo paterno-filial irá se fortalecendo com o passar do tempo, aumentando seu envolvimento e prazer em acompanhar o desenvolvimento da gestação.

No exato instante em que a mulher anuncia ao homem que está grávida, implicitamente anuncia o nome de família que esta criança terá. O impacto da notícia depende da história do casal e do tipo de relação que une o homem e a mulher, que pode ter vários efeitos, desde uma felicidade extrema e compartilhada, até separações, afastamentos e conflitos.

O modo como o homem vivencia a gravidez é diferente da mulher. Mesmo as emoções, apesar de as mesmas, também são vivenciadas diferentemente. E é por isso que as gestantes não compreendem e até se ressentem quando seus parceiros não se manifestam com a intensidade esperada, inclusive quando a gravidez foi planejada e desejada por eles.

Em primeiro lugar, porque desejar um filho é completamente diferente de se projetar como pai. E isto é válido também para a mulher. Enquanto o desejo de um filho situa-se no plano da fantasia, onde todas as expectativas são idealizadas, projetar-se como pai remete-o à realidade das responsabilidades que deverão ser assumidas e pelas quais também se percebe inseguro e despreparado.

Em segundo lugar, porque também se encontra em estado regressivo, quando os conflitos infantis, conscientes e inconscientes, são reatualizados, principalmente no tocante à relação com os pais de origem, em especial, com a figura paterna.

Embora o homem e a mulher contribuam igualmente para a concepção do filho, é a mulher que vai vivenciar as transformações físicas e sentir o bebê crescer dentro de seu corpo. Isto causa muita inveja e ciúme no homem por não poder participar diretamente da díade mãe-bebê, o que pode levá-lo a sentir-se excluído da relação.

Para se fazer um lugar, produzem-se os sintomas que são expressões inconscientes desse desejo. Aparecem, então, sensações semelhantes às da mulher, como aumento de apetite, problemas digestivos, intestinais, aumento de sono... Muitas vezes procura inteirar-se de todas as informações possíveis sobre a gravidez, parto e puerpério, como também de captar a cada instante os movimentos fetais, colocando a mão no ventre da parceira.

Outros homens excluem-se da relação, como se não pudessem ou devessem ter acesso à gravidez. Culturalmente, ainda se lhes encontra enraizado que a demonstração de ternura e os cuidados para com um bebê vão contra o conceito de masculinidade.

Outros, ainda, sentem-se incompreendidos e desamparados em suas angústias e ansiedades, pois também se percebem fragilizados, cheios de dúvidas e com medodo futuro e, sem ninguém para ouvi-los, uma vez que o ambiente mais próximopermanece voltado apenas para a gestante, saem em busca de amigos, ficandocada vez mais afastados do ambiente doméstico, e o que é pior : sofrendo sozinhos.

Mas a psicologia pré-natal, com seus estudos cada vez mais avançados, tem demonstrado claramente a importância para o feto do contato precoce com a figura paterna. Quanto mais cedo o vínculo é formado, tanto pelo contato físico no ventre da mulher quanto pela emissão de palavras, maiores benefícios emocionais trarão após o nascimento, pois o bebê necessita tanto dos cuidados maternos quanto dos paternos, visto ser receptivo e sensível a estes, principalmente se tiveram início na vida intra-uterina.

Como a criança já guarda lembranças na vida pré-natal e é capaz de retê-las, a ligação profunda e intensa pai-feto é essencial para o continuum do vínculo pós-nascimento. Este pai, então, deixa de ser mero provedor para compartilhar dos cuidados básicos com o bebê, bem como de sua educação e desenvolvimento físico-emocional.

Mas os limites de cada um devem ser respeitados. Há pais que por não conseguirem experienciar a troca de fraldas, assumem outras tarefas como dar banho, alimentar, levar a passear. Sendo assim, podem revezar com a mulher, deixando de sobrecarregá-la e de se sobrecarregar, ficando ambos mais disponíveis emocionalmente para o bebê. Além do contato com ele, o homem também tem uma função importante como companheiro, pois transmitindo amor e segurança à mulher, colaborará para que ela acolha mais intensamente seu próprio filho.

Muitos homens se decepcionam com a parceira e vice-versa, por não corresponderem ao ideal de pais que construíram, o que pode gerar novos conflitos ou romper um equilíbrio que já era frágil. Se as expectativas forem irreais, há de se refletir para encontrar um meio de reassegurar o bom entendimento, através de muita compreensão e de ajudas mútuas para sobrepujar as dificuldades que porventura surjam.

O reatamento das relações sexuais também são fonte de grande angústia do homem, visto ainda estar em estado regressivo. O temor de machucar a mulher ressurge com a mesma intensidade que na adolescência, o que causa grande insegurança na parceira por perceber este distanciamento como uma rejeição a si mesma.

Alguns homens se afastam da mulher por estarem ainda ressentidos pelo abandono sofrido durante todo o processo da gestação, o que lhes causou sentimentos de intenso ciúme e rivalidade para com o filho, tal como ocorrem quando nasce um irmão.

Outros, ainda, por sua história pessoal, modelos parentais ou culturais, vêem em suas parceiras apenas a imagem materna, o que tornam as relações sexuais inviáveis. Para outros, ao contrário, a parceira fica ainda mais sedutora, pois foi quem gestou seu filho, prova viva de sua virilidade.

A presença ou não do homem na sala de parto, é outra questão que surge e que depende do desejo e disponibilidade do futuro papai. Há homens que não se sentem à vontade para assistir o parto, pois além de revivenciarem a reatualização da angústia do próprio nascimento, teriam que suportar a culpa e responsabilidade, que muitas vezes surgem, ao se depararem com o que a parceira está vivenciando fisicamente. Outros assumem a tarefa sem dificuldade, funcionando como suporte emocional da mulher e de acolhimento ao bebê nesta sua vinda ao mundo aéreo.

Mas o direito de estar presente na sala de parto, não deve transformar-se em obrigação. Deve ser negociado entre o casal e decidido de comum acordo, o que é melhor para cada um.
Assim como a puérpera, o homem também experiencia a depressão pós-parto, temendo não ser capaz de assumir a nova família, de ser bom pai e, principalmente, temendo perder o lugar que tem junto à companheira, pois sabe que seu filho irá exigir toda sua atenção e cuidados nos primeiros meses.

Mas, essencialmente, o baby blues tem origem no trauma da angústia de separação da mãe e que se funda na cesura do cordão umbilical, no momento do próprio nascimento, que é reatualizado com profunda e intensa ansiedade.

De qualquer maneira, homem nenhum passa imune ao processo de gestação e do nascimento de um filho. Com a evolução dos estudos sobre a relação paterno-filial, desde a vida intra-uterina, muitos homens estão se conscientizando e assumindo a paternidade de modo mais responsável, valorizando a importância de sua participação na vinda e na vida de seus filhos.

Com isto, homens e mulheres poderão estabelecer vínculos mais solidários e sólidos, independentemente da sitiuação do vínculo afetivo, o que certamente irá produzir gerações futuras de crianças emocionalmente mais ajustadas, estáveis, seguras e, portanto, muito mais felizes.

Ana Maria Moratelli da Silva Rico
Psicóloga clínica

Aprendendo a dar de mamar


Todo bebê nasce sabendo mamar. O instinto de se alimentar é tão forte que eles mal acabam de chegar ao mundo e já descobrem como fazer para receber o leite quentinho da mamãe. É ainda na sala de parto que já pode, e deve, acontecer a primeira mamada. Quanto mais cedo, melhor.
“O primeiro contato com a família deve acontecer imediatamente após o parto. É nesse momento que ele pega os anticorpos da mãe, e começa a se preparar para o ambiente onde viverá”. A médica explica que quando o bebê nasce saudável, o médico tira a umidade e coloca o recém-nascido em contato pele a pele com a mãe para haver a colonização dos anticorpos. Esse é o momento da primeira mamada, que geralmente acontece de 20 a 50 minutos após o nascimento.
Não tenha medo e lembre-se de que o corpo da mulher foi feito para amamentar. Tudo dará certo. Ainda no hospital, o ideal é pedir uma mãozinha a uma enfermeira ou outro profissional para levar o bebê ao peito. No início você precisará ajudar o bebê a pegar o bico e ver se ele está sugando corretamente.
O leite materno só “desce” alguns dias depois do nascimento do bebê. Nos primeiros dias a mãe produz o colostro, que é uma substância preciosa, espessa e amarelada, cheia de anticorpos e proteínas, que irá alimentar o bebê nos primeiros dias e funcionar como a sua primeira vacina.
As primeiras tentativas podem não corresponder à expectativa da mãe, mas é normal. A amamentação é um ato natural, mas é uma experiência nova tanto para a mãe como para o bebê.
Nesse comecinho, o bebê pode querer mamar de hora em hora. E os pediatras recomendam que o bebê seja amamentado dia e noite, sempre que tiver vontade. “A princípio, o intervalo das mamadas é de acordo com a demanda do bebê, sempre que ele chorar, o peito pode ser oferecido até que esteja saciado”, orienta a Dra. Sílvia Maria Baliero Nigro. Isso ajuda o bebê a criar um suplemento de leite, perfeitamente adequado às suas necessidades. Dentro de dois a quatro dias, quando o leite materno “descer”, o bebê se ajustará a essa mudança e as mamadas serão mais espaçadas, a cada duas ou três horas.
Ao contrário do que se pensava antes, as mamadas não devem ter horários fixos para acontecer. O bebê sabe quando tem fome e sua vontade deve ser respeitada.
Antigamente os profissionais de saúde orientavam as mães a trocar de peito durante a mamada, oferecendo 15 minutos de cada lado. Hoje, a regra é outra. “O bebê deve sugar o peito até largar espontaneamente. Depois, a mãe pode oferecer o outro peito”, ensina a pediatra Keiko Teruya. “Vimos que não é bom oferecer apenas 15 minutos de cada lado porque a criança só mama o leite anterior, que não é gorduroso e rico como o leite final”.