Páginas

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Slings: Adote-os



Usados por artistas, carregadores permitem a interação de mães e bebês


Por Luana Martins • 21/08/2009


Prepare-se para dizer adeus aos antigos carrinho e bebê-conforto. Uma alternativa mais prática e fashion de transportar o filhote chegou para ficar: os slings! Eles caíram no gosto das celebridades. Certamente você já viu fotos de Julia Roberts, Angelina Jolie, Cindy Crawford, Sheryl Crow, Courtney Cox, Gwen Steffani, Kate Hudson e muitas outras celebrities com estes porta-neném. E os especialistas garantem: as vantagens são muitas. Crianças "slingadas" crescem mais calmas, seguras, com a auto-estima elevada e desenvolvem melhor seu potencial cognitivo e motor.
Mas você sabe o que é um sling? "Do inglês 'pendurar', o sling é uma faixa de pano com duas argolas em uma das extremidades que, ajustada ao corpo, permite o transporte de crianças de até 20 quilos (quatro anos) deitadas, sentadas ou nas costas do adulto", explica Bettina Lauterbach, empresária da marca "Baby Slings". Sua origem remonta à Antiguidade. "Há séculos, sobretudo na Índia, África e nas tribos indígenas, as pessoas utilizavam panos para aconchegar e transportar suas crianças", conta a empresária.
Recomendaram-me o sling quando meu filho estava com menos de um mês e sofria de refluxo. Ele melhorou, passou a dormir melhor e, por isso, nunca usei carrinhos para ele passear. Hoje, ele já traz o sling para que eu o coloque nele. É lindo e todos saem ganhando
- O carregador aumenta a auto-estima do bebê, pois ele recebe mais carinho e atenção do que estando no carrinho ou bebê-conforto.
- O sling protege, ainda, a criança do sol e do vento. E facilita a circulação em meio a multidões e lugares com desníveis ou de difícil acesso.
- Ele é prático, confortável, lavável, dobrável, leve e seguro.
Até a mamãe sai ganhando. "O sling me permite realizar tarefas antes impossíveis com o bebê nos braços. Posso, ainda, amamentar a criança na rua, discretamente, graças à faixa extra de tecido do carregador", relata Andreza de Freitas Espi, consultora de babywearing e fabricante dos slings "Mania de Sling". E, ao contrário do que muita gente pensa, o bebê não fica "tortinho" dentro do sling. "Se bem posicionado, o sling não causa danos para o bebê nem para a coluna da mãe", afirma a pediatra Maria Cristina.


Se por acaso, esta reportagem despertou desejo em você, temos aqui em Santos a Starling que faz slings com argolas sem emendas, de algodão, com patchwork, entre em contato: starling.sling@hotmail.com ou veja no orkut a coleção!

Nenhum comentário: